O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu nesta terça-feira investigação para acompanhar as consequências do vazamento de dados da Stone, empresa de meios de pagamento.

Há duas semanas, a Stone enviou um informe para a SEC, Comissão de Valores Mobiliários americana, dizendo que havia sofrido um ciberataque com vazamento de informações e chantagem.
“Em 23 de outubro de 2018, percebemos que um indivíduo ou indivíduos divulgaram partes de códigos-fonte não materiais do software usado no sistema PSP Pagar.me e na plataforma Stone Pagamentos. […] Conectado à publicação inicial, recebemos a demanda por dinheiro e continuamos a receber essas demandas para evitar uma divulgação adicional”, afirmava a nota.
No documento, o promotor de Justiça Frederico Meinberg Ceroy afirmou que é responsabilidade do MPDT incentivar a proteção de dados pessoais, bem como levar a população, empresas e órgãos públicos o conhecimento de normas e políticas a respeito do assunto.

Ainda segundo ele, o órgão deve “recomendar, diante da gravidade do incidente de segurança, ao responsável pelo tratamento dos dados a adoção de outras providências”. Ele cita como medidas a comunicação aos titulares e a ampla divulgação do fato em meios de comunicação para reverter ou mitigar os possíveis efeitos do incidente.

Com a autuação, a empresa de pagamentos será requisitada a prestar mais informações sobre o vazamento.

A Stone informou que não foi formalmente notificada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. “Gostaríamos de esclarecer que não há indícios de nenhum acesso, divulgação ou utilização de dados, informações pessoais de nossos clientes ou qualquer tipo de acesso à nossa infraestrutura ou efeito em nossas operações. Não temos nenhuma evidência de que foram acessados códigos-fonte materiais ou que tenha havido qualquer invasão a nossos sistemas”, informa a empresa em nota.

A Stone diz ainda que fez o comunicado ao mercado e às autoridades competentes. “Tão logo a companhia seja notificada formalmente sobre a investigação do MPDFT, será do nosso melhor interesse apresentar informações sobre o incidente.”

Fonte: Veja.

Entre em contato conosco