Principais erros de segurança da informação no Home Office

Proteger os dados é o mínimo que se espera de uma instituição no cenário atual. Por isso, é essencial evitar erros de segurança que possam comprometer o andamento dos serviços, as vendas e a imagem institucional.

Neste artigo, vamos apontar alguns equívocos explorados pelos cibercriminosos para invadir redes corporativas e provocar o vazamento de dados. Acompanhe!

A importância da segurança da informação no Home Office

A expansão do trabalho remoto é uma tendência irreversível, porque, em muitos casos, favorece o aumento da produtividade e a redução dos custos. Por outro lado, essa iniciativa tem estimulado os criminosos virtuais a adotarem diversas táticas para obter dados.

Em razão disso, é necessário investir em soluções e em procedimentos para garantir um elevado grau de segurança da informação. Do contrário, é enorme o risco de uma companhia sofrer um ciberataque de grandes proporções. 

Aumento nos ataques durante a pandemia

O famoso ditado popular “os números não mentem” retrata como os criminosos digitais estão atentos a erros de segurança dos que optam pelo home office. De acordo com um estudo, o número de ataques virtuais a computadores utilizados para o trabalho remoto subiu 704% na América Latina durante a fase inicial da pandemia.

É um indicador que, sem dúvida, chama bastante atenção e mostra como a cibersegurança precisa ser aprimorada. Afinal, os criminosos digitais estão priorizando obter acesso a sistemas e dados, de forma fraudulenta, a partir dos equipamentos utilizados pelos que estão em

Erros de cibersegurança no Home Office

Muitos ataques virtuais acontecem por falhas humanas, e isso não pode ser ignorado pelos gestores e funcionários em hipótese alguma. Segundo outra pesquisa do TecMundo, 90% dos empregados em trabalho remoto cometem equívocos que afetam a proteção dos dados institucionais.

Inegavelmente, é um número bastante expressivo e que exige uma série de cuidados para minimizar os erros de segurança.

Principais erros de segurança no Home Office

Para boa parte dos colaboradores, o trabalho remoto proporciona mais produtividade e qualidade de vida. Contudo, é necessário ter cuidado com a proteção dos dados institucionais.

Pensando nisso, vamos apontar uma série de equívocos que devem ser evitados pelos que estão em home office. Confira!

Armazenamento de dados em locais inadequados

É necessário ter muita atenção sobre onde os arquivos estão guardados. No caso dos que atuam em teletrabalho, é um erro salvar as informações em locais disponíveis apenas no computador pessoal.

Essa prática, além de aumentar as chances de acesso indevido pelos cibercriminosos, impede a realização de cópias de segurança (o famoso backup). Essa conduta, infelizmente, gera um grande risco de perda e comprometimento dos dados.

Uso de senhas fracas

O uso de senhas fracas é um dos erros de segurança mais cometidos pelas pessoas. Para evitar essa e outras falhas, é fundamental haver campanhas de conscientização periódicas sobre as melhores práticas de segurança das informações.

Mesmo que isso seja um incômodo para alguns empregados, é imprescindível reforçar a educação digital principalmente com a expansão do home office.

Clicar em links desconhecidos

Por desatenção e curiosidade, é comum um colaborador clicar em um link malicioso, proveniente de uma mensagem de correio eletrônico. Esse é um dos erros de segurança que criam um ambiente favorável para um equipamento ser infectado por vírus e outras ameaças digitais. Essa situação aumenta bastante o risco de roubo ou vazamento de dados institucionais.

Compartilhamento de credenciais de acesso

Por questões de comodidade e praticidade, um funcionário pode “emprestar” as credenciais de acesso para um colega de trabalho resolver eventuais pendências em um sistema corporativo. Mesmo que os dois empregados sejam honestos, essa prática pode afetar consideravelmente a segurança da informação.

Caso o equipamento de um dos funcionários seja invadido, a possibilidade de os cibercriminosos acessarem softwares institucionais indevidamente cresce de forma exponencial. E isso provoca, em muitas situações, perda de informações relevantes para o negócio. 

Uso do computador corporativo por membros da família

Mesmo que os familiares estejam bem-intencionados, é um equívoco de segurança deixá-los usar os equipamentos tecnológicos utilizados no home office. Por um descuido, eles podem, por exemplo, clicar em um link que permitirá o acesso indevido a um smartphone ou notebook.  

Armazenamento de senhas em arquivos

Um dos grandes erros de segurança é deixar a senha em um arquivo que pode ser facilmente acessado por terceiros. Nesse caso, é interessante orientar os funcionários a deixarem as senhas em um gerenciador indicado pela equipe de TI. Isso vai reduzir bastante as chances de os criminosos digitais acessarem sistemas corporativos.

Atenção insuficiente em relação a segurança da rede doméstica

Outro erro envolve a falta de cuidado com a segurança da rede doméstica. Ao estar em home office, um funcionário deve priorizar a proteção a todos os recursos tecnológicos necessários para um bom andamento dos trabalhos. Do contrário, vai elevar as probabilidades de a organização ser vítima de um ciberataque.

Dicas para proteger o teletrabalho

Uma vez que o cenário muda, neste caso a expansão do trabalho remoto, as estratégias de segurança também devem evoluir. Listamos abaixo algumas práticas para a proteção do teletrabalho.

Estabelecimento de uma Política de Segurança

Mesmo que os colaboradores tenham conhecimentos básicos de cibersegurança, é essencial que haja uma política de segurança para os dados institucionais. Essa iniciativa é uma forma de orientar a equipe e minimizar falhas que comprometem a proteção das informações.

Quanto maior for a clareza das orientações para evitar erros de segurança, menores são as chances de haver equívocos que favoreçam a presença de ameaças virtuais na rede de uma empresa.

Conscientização dos colaboradores

É muito bom contar com funcionários éticos e competentes. Mas isso não é sinônimo de que uma empresa está livre de erros de segurança. Em virtude disso, é recomendado orientar o time sobre as falhas mais comuns que afetam os dados institucionais. À medida que os principais equívocos forem destacados, menores são as chances de serem repetidos.

Reforçar a política de Backup

Uma política de backup é indispensável para recuperar informações acessadas indevidamente por terceiros. Se não forem adotadas as melhores práticas de cópias de dados, uma companhia está correndo um sério risco de perder informações valiosas e de ser multada, de acordo com as regras da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Instauração de acesso seguro

Uma organização precisa investir em soluções que permitam um acesso seguro aos softwares. Essa medida e as campanhas de conscientização têm um peso valioso para minimizar erros de segurança e garantir mais eficiência aos serviços

Simplificação dos sistemas de segurança

Se uma empresa optar por softwares de segurança destinados ao home office, o mais indicado é que essas ferramentas sejam usadas de maneira simples e prática. Assim, as ações para diminuir, ao máximo, as ameaças virtuais terão uma maior efetividade, o que contribui para proteger os dados corretamente.

Saiba mais sobre segurança no Home Office com a Future

Para reduzir erros de segurança ao adotar o trabalho remoto, uma excelente alternativa é contar com o apoio de uma empresa especializada em Segurança da Informação, como a Future.

Se pretende unir produtividade com alto nível de proteção dos dados, entre em contato conosco agora mesmo. Estamos à disposição para ajudar o seu negócio a atingir um desempenho notável!

7 dicas para garantir a segurança para trabalho remoto 

O trabalho remoto se consolidou de maneira definitiva com a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), que acelerou a transformação digital e modificou o estilo das empresas gerenciarem a produtividade da equipe. Apesar das mudanças proporcionarem benefícios, é necessário ter uma atenção especial com a segurança para trabalho remoto. 

Afinal, os cibercriminosos estão adotando métodos mais arrojados e que buscam aproveitar, ao máximo, as vulnerabilidades dos funcionários e dos equipamentos adotados fora da sede de uma organização. Inegavelmente, é uma conjuntura que exige um grande esforço para aperfeiçoar os mecanismos de proteção de dados com agilidade e eficiência.  

Neste artigo, vamos abordar 7 iniciativas primordiais para qualquer instituição elevar o nível de segurança da informação ao investir no teletrabalho. Confira! 

A importância da segurança no trabalho remoto

Por mais que o trabalho remoto proporcione conforto, engajamento e produtividade, esse modelo de prestação de serviço necessita de um olhar atento com relação à proteção dos dispositivos, sistemas e arquivos corporativos. Se não houver um foco nesse sentido, será muito elevada a probabilidade de sofrer um ataque virtual de grandes proporções. 

Independentemente do formato de negócio, é fundamental que seja feito um investimento em soluções e em pessoas para haver mais segurança no trabalho remoto. Apenas oferecer o acesso para os colaboradores exercerem as atividades fora do escritório é um erro que deve ser evitado ao máximo. 

Afinal, é indispensável reforçar a proteção aos dados em virtude do aumento de ataques cibernéticos durante a pandemia.  De acordo com uma pesquisa, os ataques virtuais contra as companhias nacionais apresentaram um crescimento de 220% no primeiro semestre de 2021 em comparação com o mesmo período do ano anterior.  

Sem dúvida, é um número que causa bastante preocupação nos gestores de TI, porque é uma tendência que dificilmente será revertida, pois os cibercriminosos sabem que as chances de êxito são cada vez maiores.  

A segurança no trabalho remoto no cenário atual

Por questões de sobrevivência, muitas corporações foram obrigadas a optar pelo trabalho remoto. Um dos motivos era a necessidade de manter as atividades, reduzindo os riscos de contágio de seus colaboradores pelo novo Coronavírus. 

Mesmo com a vacinação possibilitando o retorno às atividades de forma gradual, muitas empresas optaram por manter os funcionários em ambientes diferentes da sede. A razão é que esse modelo de trabalho contribui para a redução de gastos (aluguel, energia, água etc.) e oferece mais conforto e mobilidade aos empregados, sem haver prejuízos para a qualidade dos serviços.  

Por outro lado, é crucial aperfeiçoar a segurança para trabalho remoto. Segundo pesquisa, houve uma expansão de mais de 100% na quantidade de ataques a dispositivos móveis no início da pandemia. 

É interessante estimular o uso de smartphone e tablets com foco em um melhor desempenho da equipe. Mas essa ação precisa estar acompanhada de medidas que minimizem vulnerabilidades e reduzam consideravelmente as possibilidades de um ataque cibernético

Práticas para garantir a segurança no trabalho remoto

Os gestores de TI sabem que é essencial priorizar a melhoria contínua nos mecanismos para evitar invasões. Pensando nisso, vamos apontar 4 procedimentos que colaboram para elevar o nível de proteção dos dados e aproveitar as vantagens proporcionadas pelo home office. Acompanhe! 

1. Conscientização dos usuários 

Os empregados são peça-chave na busca por mais segurança no trabalho remoto. Afinal, eles precisam adotar diversas ações para minimizar falhas que possam ser aproveitadas pelos cibercriminosos.  

Para isso ser viável, um bom caminho é promover campanhas de conscientização que apontem as melhores práticas e os prejuízos causados por um ataque virtual.  A educação corporativa é indispensável pois permite aos funcionários terem mais conhecimento, o que é muito importante para minimizar riscos de prejuízos aos serviços em virtude de ciberataques.   

2. Segurança para dispositivos pessoais

Muitas instituições estão optando pela política BYOD que consiste em incentivar o uso de equipamentos pessoais para realização de tarefas de cunho profissional. Contudo, isso deve ser feito com a adoção de procedimentos claros e eficientes que ajudem a garantir mais segurança para trabalho remoto. 

Sem dúvida, uma corporação tem ganhos ao proporcionar mais liberdade de atuação para os empregados, mas deve fazer isso com bom senso e seguindo as melhores práticas de proteção de dados. 

3. Acesso à rede

Em virtude de os funcionários estarem em um local diferente da sede institucional, é recomendado que haja bastante cautela no acesso à rede corporativa. Além de adotar uma senha forte, o empregado precisa seguir outros procedimentos para minimizar riscos, como evitar o uso de Wi-Fi em locais onde não há garantias de um alto nível de segurança e o uso de VPNs (Virtual Private Networks), estabelecendo uma conexão privada e segura entre o funcionário e a rede da organização. 

4. Autenticação multifator

Quanto mais cuidado uma empresa tem com a segurança da informação, maiores são as chances de aproveitar as vantagens do home office de forma plena. Isso, com certeza, é um ótimo motivo para apostar na autenticação multifator, que exige outros requisitos para acessar à rede corporativa, além dos tradicionais login e senha. Um exemplo disso é o envio de um código via SMS para ter acesso aos recursos de TI.  

Com boas soluções e procedimentos de segurança para trabalho remoto, é possível manter o ambiente bastante protegido contra os ataques cibernéticos. Não priorizar esse objetivo é uma falha que pode causar sérios danos financeiros e de imagem em curto prazo. 

Se está em busca de mecanismos de segurança eficientes, entre em contato conosco agora mesmo! Estamos à disposição para te ajudar a atingir uma performance notável! 

Receba conteúdos exclusivos